Notícias

20.12.2012
Após audiência no Ministério Público do Trabalho, a ENERGISA mais uma vez frustra as expectativas dos trabalhadores.

 

Em audiência realizada hoje (20/12) na sede da Procuradoria Regional do Trabalho da 13ª Região, mediada pelo Ministério Publico do Trabalho, sob a presidência do Exmo. Sr. Procurador do Trabalho,Dr. PAULO GERMANO COSTA DE ARRUDA, e representando o STIUPB, estiveram presentes nosso presidente, Wilton Maia Velez,  acompanhados da vice-presidente, Vilma Rodrigues, e do Diretor Sindical, Pedro Ranieiry, acompanhados do Dr. GIUSEPPE FABIANO DO MONTE COSTA, advogado inscrito na OAB/PB sob o n° 9.861, e pelas representadas ENERGISA PARAÍBA DISTRIBUIDORA DE ENERGIA S/A e ENERGISA BORBOREMA - DISTRIBUIDORA DE ENERGIA S/A, compareceu o Sr. GUSTAVO BALDINO DIAS DA COSTA, preposto da empresa, , acompanhado dos Drs. CARLOS FREDERICO DA NÓBREGA FARIAS, JORGE RIBEIRO COUTINHO GONÇALVES DA SILVA e FERNANDA ROCHA CAMPOS POGLIESE, advogados da ENERGISA.

INSTALADA A AUDIÊNCIA, foi consultada a empresa sobre a concordância relativamente a qualquer das postulações sindicais constantes do item I da ata de audiência de mediação havida em 18/12/2012 (extensão de direito ao transporte para os trabalhadores de Campina Grande ou prêmio para goze de férias à totalidade da base sindical do STIUPB), pronunciou-se pelo não atendimento a qualquer das reivindicações. Neste momento, o sindicato profissional manifestou-se no sentido de uma possível concordância com a proposta patronal, consistente na reedição da norma coletiva 2011/2012, considerando-se a majoração da gratificação eventual (abono) para R$ 1.300,00, reajustamento linear no percentual de 6%, o piso salarial em R$ 700,00 e tíquete alimentação em R$ 590,00, com o pagamento do benefício no dia 25 de cada mês, proposta que já foi objeto de aprovação pelo SINDELETRIC resultando na celebração do ACT em João Pessoa, porém, somente poderá decidir em definitivo após consulta aos trabalhadores em assembleia.

A empresa, por sua vez, afirmou que se o sindicato puser à apreciação dos trabalhadores da sua base sindical a proposta de acordo nos termos acima apontados e, havendo a deliberação pela aprovação, no prazo imediato de 48 horas úteis, disponibilizará na conta salário de todos os empregados da base sindical do STIUPB o valor individual de R$ 1.300,00, correspondente à gratificação eventual.

Posta a situação em tais termos, decidiu o Procurador do Trabalho aguardar a realização das assembleias e possível celebração dos Acordos Coletivos de Trabalho, para, só após, decidir pelo encerramento ou não do processo de mediação.

Registra-se, nesta ocasião, que a negativa dos trabalhadores em aceitar a proposta de acordo acima preconizada equivalerá ao resultado de ata negativa de conciliação, facultando-se aos requerentes a adoção das medidas que entenderem adequadas.

Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a presente audiência.

Bem, informamos que esgotadas todas as possibilidadese negocição só temos dois caminhos a seguir:

1- Dissidio Coletivo

2- Aprovação da pauta.

Estaremos realizando assembleias em todo o Estado para deliberar sobre tais possibilidades e a categoria decidirá seu futuro,sabendo, que desde do principio a categoria foi defendida com muita moral, sobriedade e sobretudo com dignidade e, nosso sindicato buscou e buscará sempre a isonomia de tratamento entre os beneficios dos trabalhadores da Energisa Borborema e Energisa Paraíba.

 

 

 

Em respeito à legislação eleitoral, o STIUPB esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários, está sendo desativado, retomando tão logo termine o processo eleitoral.

 

Outras notícias